Allfabetização

Este postal é - creio - uma fotografia retirada dum dos dois filmes que há dias vi sobre as campanhas de alfabetização, as tais em que eu gostaria de ter participado em Agosto último se ... Esta cena do filme era comovente: uma mulher que até aí não sabia comunicar por escrito, conseguir fazê-lo. A procura das sílabas, o gesto hesitante, o voltar atrás para corrigir ou desenhar melhor a letra !!! Deve ser bestial um tipo descobrir que sabe ler, não achas? (1974)

Escrevivendo e Photoandando

No verão de 1996 resolvi não ir de férias. Não tinha companhia nem dinheiro e não me apetecia ir para o Mindelo. "Fechado" em Setúbal, resolvi escrever um livro de viagens a partir dos meus postais ilustrados que reavera, escritos sobretudo para casa em Luanda ou para a mãe do Rui e da Susana. Finda esta tarefa, o tempo ainda disponível levou me a ler as cartas que reavera [à família] ou estavam em computador e rascunhos ou "abandonos" de outras para recolher mais material, quer para o livro de viagens, quer para outros, com diferente temática.

.

Depois, qual trabalho de Sísifo ou pena de Prometeu, a tarefa foi-se desenvolvendo, pois havia terras onde estivera e que não figuravam na minha produção epistolar. Vai daí, passei a pente fino as minhas fotografias e vários recorte, folhetos e livros de "viagens", para relembrar e assim escrever novas notas. Deste modo o meu "livro" foi crescendo, página sobre página. Pelas minhas fotografias descobri terras onde estivera e juraria a pés juntos que não, mas doutras apenas o nome figura na minha memória; o nome e nada mais. Disso dou por vezes conta nas linhas seguintes.

.

Mas não tendo sido os deuses do Olimpo a impor me este trabalho, é chegada a hora de lhe por termo. Doutras viagens darão conta edições refundidas ou novos livros, se para tal houver tempo e paciência.

VN

quarta-feira, 22 de março de 2017

uma indignação varre as redes sociais

* Victor Nogueira

Um dos ... sem esquecer as alvas arianas que com eles eventualmente emparelham e do mesmo modo possam pensar, tendo em considerando a igualdade do género ..  E sem esquecer os machos latinos, os marialvas ibéricos e as mulheres "submissas" - reprodutoras da ideologia) que pensam e agem exactamente do mesmo modo, educando os homens (filhos/as, netos/as, namorados e companheiros e demais parentela) em consonância com tais valores e a eles se submetendo.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Revelação. F-16 intercetaram mais de 20 aviões suspeitos em 2016

* Victor Nogueira

No ano do centenário das aparições, mais visões e revelações ! CUIDADO, VÊM AÍ OS RUSSOS, A TESTAREM OS SISTEMAS DE DETECÇÃO DE INTRUSÕES NO AÉREO ESPAÇO DOS PAÍSES DA .... NATO, a inocente, a seráfica a benemérita IRMANDADE. Histórias da carochinha para ler às criancinhas antes de fazerem ó-ó ! AI AI, OS MAUZÕES DOS RUSSOS, DEPOIS DE ESTALINE O PUTIN ! CUIDADO, VÊM AÍ OS RUSSOS ! Ah, VALENTES F-16. Há um 4º segredo desvendado na Cova da Iria, em Monte Real.
É uma faceta menos visível a que a Força Aérea deu agora um número. Durante o…
EXPRESSO.SAPO.PT

O Segredo d'o Embuçado



* Victor Nogueira

No ano do centenário, das aparições, visões e revelações, a operação na Rotunda em Lisboa descobre o segredo do "Embuçado", com letra e música de João Ferreira Rosa:

Noutro tempo a fidalguia
Que deu brado nas toiradas
Andava p'la Mouraria
E muito falar se ouvia
De cantos e guitarradas

E a história que eu vou contar
Contou-ma certa velhinha
Uma vez que eu fui cantar
Ao salão de um titular
Lá p'ró Paço da Rainha

E nesse salão dourado
De ambiente nobre e sério
Para ouvir cantar o fado
Ia sempre um embuçado
Personagem de mistério

Mas certa noite houve alguém
Que lhe disse erguendo a fala:
"Embuçado, nota bem,
que hoje não fique ninguém
Embuçado nesta sala!"

E ante admiração geral
Descobriu-se o embuçado
Era El-Rei de Portugal,
houve beija-mão real
E depois cantou-se o fado


DESCUBRA já a seguir O SEGREDO PARA UMA VISÃO COMPLETA DA APARIÇÃO

 


segunda-feira, 13 de março de 2017

As noites estão a ficar solitárias

* Victor Nogueira

No canal Fox Crimes há interessantes séries policiais, que vejo com agrado, duas delas australianas: "Os Mistérios do Dr. Blake" e "Os Mistérios de Miss Fisher", localizadas respectivamente nas cidades de Ballarat e de Melbourne. Normalmente em cada episódio há um problema ou questão social como pano de fundo..

A primeira envolve um médico algo tímido que tem consultório clínico e exerce medicina legal em colaboração com a polícia local e situa-se nos anos a seguir à 2ª Guerra Mundial, em que participou. Saborosa e deliciosa a relação entre Blake e a desenvolta Jean, sua assistente e governanta.

A segunda situa-se nos loucos anos 20, com uma desenvolta, destemida e ociosa jovem australiana pobre que herdou uma fortuna, educada na Europa e que colabora com o Inspector da Polícia local no desvendar de crimes. Tal como em Blake aqui também há um enredo amoroso que se desenvolve entre Miss Fisher e o tímido e conservador Inspector JacK ou entre a recatada mas determinada Dot e Williams, o assistente do Inspector.
Num dos episódios de Miss Fisher (3ª temporada, 5º episódio - "Death & Hysteria") este termina com uma elegíaca canção comovente cuja letra transcrevo e que me faz lembrar os Virgem Suta e a:sua "Dança de Balcão"., apesar das enormes diferenças na música e no poema de cada uma delas.

THERE'S A LONG, LONG TRAIL A-WINDING
poema de Stoddard King e música de  Alonzo "Zo" Elliott,

As noites estão a ficar solitárias
Os dias são muito longos
Estou a ficar cansado de apenas
Ouvir a tua canção.
Há um caminho muito longo
Para percorrer
Para a terra dos meus sonhos
Onde os rouxinóis cantam
E os raios lunares brancos.
Há uma longa noite à nossa espera
Até que os meus sonhos se concretizem
Até ao dia que eu ande
Por esse longo caminho contigo.

Podem ouvir a canção a parti do minuto 53 no vídeo que reproduz o referido episódio






Trata-se duma popular canção da I Grande Guerra, cujo texto original é

THERE'S A LONG, LONG TRAIL

Nights are growing very lonely,
Days are very long;
I'm a-growing weary only
List'ning for your song.
Old remembrances are thronging
Thro' my memory
Till it seems the world is full of dreams
Just to call you back to me.

Chorus:
There's a long, long trail a-winding
Into the land of my dreams,
Where the nightingales are singing
And a white moon beams.
There's a long, long night of waiting
Until my dreams all come true;
Till the day when I'll be going down
That long, long trail with you.

All night long I hear you calling,
Calling sweet and low;
Seem to hear your footsteps falling,
Ev'ry where I go.
Tho' the road between us stretches
Many a weary mile,
I forget that you're not with me yet
When I think I see you smile.

Chorus:
There's a long, long trail a-winding
Into the land of my dreams,
Where the nightingales are singing
And a white moon beams.
There's a long, long night of waiting
Until my dreams all come true;
Till the day when I'll be going down
That long, long trail with you.



Theres A Long Long Trail A Winding Sung By John McCormack

Compiled by http://www.WW1Photos.com Lyrics and MP3 download available at http://ww1photos.com/TheresALongLongT... Photos & Film footage from The Great War Archive, University of Oxford (www.oucs.ox.ac.uk/ww1lit/gwa); © [Imperial War Museum Film and Video Archive

~~~~~~~~~~~~~~




MPG Victor, também sou fã destas séries e se calhar pelos mesmos motivos.


Victor Barroso Nogueira Se calhar vemos as mesmas séries, como Inspector Morse, Endeavour, Inspector Lewis ou a Vera, estas britânicas e de fino humor  Mas tb há outra como Elementar, uma paródia hilariante ao Sherlock Holmes, transposto para Nova Iorque, na actualidade


JC Estou "comungando " do teu (bom ) gosto , Victor ... Sigo a do Dr. Blake , com muito agrado . Abraço , pá .

MSou maluca por policiais e no dr já vi anti comunismo mas lá o papo tal como outros por gostar de policiais bem feitos 



Victor Barroso Nogueira O Blake e a Jean não me parece que sejam anticomunistas e um dos taxistas "sócios" da Miss Fisher é comunista, embora estes na austrália não sejam lá muito bem vistos LOL

JPois parece que não ... os cangurus terão mais ..."sorte " .. eheheheheh

domingo, 12 de março de 2017

Um bordel de silicone

* Victor Nogueira



O cúmulo da alienação sempre a facturar. Que mais irá aparecer ? Em évoraburgomedieval tive um colega que dizia que qualquer buraco servia ! Este de silicone, que emoções e sensações transmitirá ou despertará ?


É o primeiro bordel na Europa com bonecas sexuais que parecem mulheres "de verdade". É em Barcelona, abriu no início de arço. Cada hora custa €80
EXPRESSO.SAPO.PT

***
http://observador.pt/2017/03/02/barcelona-tem-o-primeiro-bordel-da-europa-com-bonecas-sexuais/

sábado, 11 de março de 2017

42º aniversário do 11 de Março



* Victor Nogueira


A reacção não passou em 24 / 26 de Abril de 1974, nem no Golpe Palma Carlos, nem em 28 de Setembro de 1974 e 11 de Março de 1975, com as spínoladas apoiadas pelo PPD/CDS. Mas triunfou em 1975, a 25 de Novembro, com pézinhos de lã, do PS / Soares aliado à rede bombista do ELP / MDLP / Maria da Fonte e com o apoio e ajuda do auto-proclamado "verdadeiro" MFA, o do "socialismo da 3ª via" e "em liberdade", o de Melo Antunes, Salgueiro Maia e Ramalho Eanes, sem esquecer Vasco Lourenço, irmanados contra os "totalitarismos", o dos "pé-descalço", dos "sans-culottes", dos "sem-terra", dos "ventres ao sol" ....


Costa Gomes afirmava que "Todos os responsáveis serão julgados e punidos." Uma punição que Soares tornou exemplar: Spínola foi pelo PS / Soares promovido ao Marechalato, homenageado e condecorado. 

Com efeito, sobre Spínola reza a Wikipedia "Não obstante [a sua actividade contra-revolucionária e oposição ao 25 de Abril e à descolonização], a sua importância no início da consolidação do novo regime democrático foi reconhecida oficialmente a 5 de Fevereiro de 1987, pelo então Presidente Mário Soares, que o designou Chanceler das Antigas Ordens Militares Portuguesas, tendo-lhe também condecorado com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito (a segunda maior insígnia da principal ordem militar portuguesa), pelos «feitos de heroísmo militar e cívico e por ter sido símbolo da Revolução de Abril e o primeiro Presidente da República após a ditadura» a 13 do mesmo mês e ano."

A derrota da extrema direita e a "consolidação" definitiva ou transitória da democracia burguesa, esta em que estamos, deve-se não a Spínola ou a Mário Soares mas sim a Melo Antunes, Ramalho Eanes, Costa Gomes e Álvaro Cunhal.





quarta-feira, 8 de março de 2017

6 poemas para todos os dias



 * Victor Nogueira

CANTILENA COM MAU GOSTO
.
Quem quer ver a moça bela
Que na rua vai passando,
Florida, com sentinela,
0 meu sossego roubando?
.
0 meu sossego roubando
Sem leveza d'andorinha,
Em má prisão esvoaçando
Não te vendo, Oh! sinházinha!
.
Não te vendo, oh! sinházinha,
Um deserto vai nascendo;
Bem longe da minha vinha
Por ti mal, vou fenecendo,
.
Por ti mal, vou fenecendo
Nesta casa sem calor;
Não quero ficar sofrendo
Como trigal sem verdor,
.
Como trigal sem verdor
Não me deixes tu ficar;
É bom ter calma d'amor
No mar alto a navegar,
.
No mar alto a navegar
Remando àquele porto,
Com roussinol a cantar
Mui cantante, sem desgosto.
.
Mal cantante, com desgosto,
Vou deixando de cantar;
Ficando mal, mal disposto,
Pela companh'a a fugar!
.

1992


NOSTALGIA

Procuro  dentro de mim
................a memória das naus que partiram
................nesse teu gesto de me
.........................................tocar o rosto
.........................................afagar os cabelos
.........................................ajeitar o kispoo
................toque das tuas mãos
................tocata ligeira e graciosa
Recordo a tua pele morena
................a tua voz  camarada e amiga
  quente sedutora
................o teu ar fresco e donairoso corpo
................a tua mão na minha
  no café no cinema ou no restaurante
................o teu cabelo curto ou comprido
................as tuas palavras
................quando  me dizes
................à partida
................rápido pela auto-estrada
................não vás depressa
................cuida de ti da tua saúde
................o beijo na face ou como ave
............................pássaro lançado ao vento
Regresso em pensamento viajo
Percorro os sítios onde estivemos
................o areal o lugar à beira-mar
................a esplanada as ruas da cidade aberta
................a tua casa acolhedora
................o silêncio
Hoje  raro me telefonas ou procuras
a não ser quando me sabes doente ou
  no dia do meu aniversário
  na passagem dos anos
com  delicada gentileza!

Flor do mar retraída.

1989.09.11 setúbal


 
O AMOR É BEM QUE SUAVIZA

A tua presença na minha casa
Enche o ar de color e alegria,
Arte, doce, terna, bela magia;
Assim meu coração ganha outra asa.

Cozinhamos o pão que não esfria,
Brincando, procuramos boa vaza
P'ra espantar a tristeza, que arrasa
Rio, danço, com tua cantoria.

Com tua feição nos vasos pões flor
A tudo dando vida e bom sabor;
Caricio teu corpo, os teus lábios,

Afago teu rosto, aparto as dores;
A rua, plena de sol e louvor,
É verde planura com riso dos sábios.
.
.
Setúbal 89.09.05




 No Dia da Mulher 1995
(oferecido as minhas colegas do Urbanismo)

 .....................................     1. Na tua mão
                                               bate estrangulado
                                               o meu coração.
                                               Preso no teu olhar
                                               bate suave
                                               muito leve
                                               com desejo de voar.
                                               Onde o riso e a palavra
                                               que o façam sossegar?

 2.                                          Com os meu dedos
                                               sigo lentamente o teu olhar
                                               Uma leve brisa agita o teu rosto
                                               e não sei bem se é um pássaro
                                                                             ou uma flor
                                               o sorriso que nasce nos teus lábios.
                                               Será noite
                                               ou uma criança  a navegar?

3.   Nas minhas mãos
         o dia escurece
         e não ouço nelas
         o calor da tua voz a cantar.
         Uma gota cai lentamente no
                                         [ horizonte
         E outra
         E outra
         E mais outra ...
         E as minhas palavras são
                         um novelo em busca do mar!
         O teu rosto,
         o teu rosto é uma linha  a navegar
         onde loucas gaivotas
         querem mergulhar.
         Quem as recolherá
         como um cristal  a brilhar?



ILUSTRAÇÕES
* Mulher rendeira por Edina Sikora
* Foto por Victor Nogueira 
 * A Condição Humana por Magritte 
* Repressão no Barreiro no tempo da fascismo português

VICTOR BARROSO NOGUEIRA·QUARTA-FEIRA, 8 DE MARÇO DE 20178 leituras

sábado, 4 de março de 2017

em Lisboa, a caminho da A5


foto victor nogueira - em Lisboa, a caminho da A5, para Paço de Arcos 2017.02.28, no banco do pendura

Há muitos anos, muitos anos, ao princípio da noite e depois duma cansativa reunião em Lisboa que durara todo o dia, ia perguntando a mim mesmo enquanto conduzia, se ia directo a Setúbal ou se iria a Paço de Arcos para jantar com a minha mãe: "vou", "não vou", admirado com o facto de não haver engarrafamentos aquela hora nem para-arranca. 

Resolvo ir a Paço de Arcos e ao desfazer uma curva para  entrar   na A5 deparo-me com uma fila de automóveis. Guino para a esquerda mas a velocidade e o escasso espaço de manobra não evitam a colisão da dianteira direita do Fiesta com a traseira esquerda do último carro da fila que vai embater no da frente, com chaparia a saltar. 

Saímos dos respectivos carros e o condutor dum deles diz-me qualquer coisa como "ai o meu carro novo que comprei na semana passada", respondo-lhe que ele ainda tinha sorte, que a minha seguradora lhe pagaria o conserto mas não do meu. Preenchemos as declarações amigáveis, um outro automobilista ajudou-me a desencravar parcialmente o meu guarda-lamas dianteiro direito e lá vou jantar a Paço de Arcos seguindo depois para Setúbal.

No dia seguinte logo de manhã rumo para a oficina, devagarinho para evitar mais acidentes, com pouco angulo de manobra na direcção para a esquerda. Eis senão quando, quase a chegar ao destino surge inesperadamente um automóvel largado à minha direita. Guino para a esquerda, manobra limitada pelo guarda-lamas amolgado na véspera. Se o outro virasse à direita ter-se-ia evitado o embate, Mas não. A jovem condutora larga as mãos do volantes e leva-las à cabeça e vai embater no malfadado guarda-lamas da véspera.. 

Ela sai do carro exclamando “Fui eu que fiz isto tudo?” Respondo-lhe que a maior parte do estrago fora da véspera, que está com sorte, pois vinha da direita e eu tinha um sinal de ceder prioridade, pois se não fosse assim pagar-me-ia o conserto como se tivesse sido apenas ela a embater. 

Preenchemos a declaração amigável, o Rui comenta que levo tudo numa brincadeira e respondo-lhe que de nada adiantava chatear-me. Mas durante algum tempo tive de forçar-me a continuar a conduzir pois via-me sempre a embater no carro da frente com chaparia a saltar.

Oito execuções em dez dias? Está a acabar o prazo de uma das drogas da injecção letal

* Victor Nogueira

Serão crimes hediondos ? A reportagem diz que sim, exemplificando com a morte duma mulher com 36 pancadas com uma chave de pneus. Mas serão seráficos, inimputáveis, os assassinatos políticos que Hollande admitiu terem sido por si ordenados ou as intervenções de bushes e obamas e companhia no Iraque. na antiga Jugoslávia, na Síria e no Líbano, de que Barroso foi um dos padrinhos, com largas centenas de milhares de mortos para além dos deslocados/refugiados afogados no Mediterrâneo ? Isto deixando de lado os genocídios e as vítimas da colonização ??
Arkansas agenda execuções à pressa porque está a chegar ao fim o prazo de um…
PUBLICO.PT

sexta-feira, 3 de março de 2017

A IDEOLOGIA NAS CANÇÕES: uma casa portuguesa ou o direito à habitação ?

* Victor Nogueira

A música reflecte-se nos conflitos sociais e como transmissora de atitudes face à mudança, de conformismo ou de luta e contestação. Nestes casos a “cantiga é uma arma”. São diferentes, antagónicos, os valores e atitudes transmitidos pelas canções – “uma casa portuguesa” (Amália), “na casa do  operário”  (Tino Flores), “avé maria no  morro” (Ângela Maria), "menino do bairro negro" (José Afonso) e "Liberdade" (Sérgio Godinho).


uma casa portuguesa - amália rodrigues


na casa do operário - tino flores


avé maria no morro - ângela maria


menino do bairro negro - josé afonso




cartaz da série "A lição de Salazar" ou "uma casa portuguesa"


bidonville


van gogh - os comedores de batatas


favela, "lá no morro, bem pertinho do Céu"


liberdade - sérgio godinho


a cantiga é uma arma - GAC Vozes na Luta

quarta-feira, 1 de março de 2017

A Música na Sociedade

 Victor Nogueira
 

Ao longo da história da humanidade a música é uma constante, em variados contextos, com finalidade religiosa, lúdica, amorosa e outras. Está também ligada ao trabalho (1), como no tempo da escravidão mas não só, quando os tambores marcavam o ritmo dos remadores.






A música reflecte-se nos conflitos sociais e como transmissora de atitudes face à mudança, de conformismo ou de luta e contestação. Nestes casos a “cantiga é uma arma”



São diferentes, antagónicos, os valores e atitudes transmitidos pelas canções – “uma casa portuguesa” (Amália), “na casa do  operário”  (Tino Flores), “avé maria no  morro” (Ângela Maria), "menino do bairro negro" (José Afonso) e "Liberdade" (Sérgio Godinho).





Joan Baez, Bob Dylan, Woody  Guthrie, Pete Seeger, Mercedes Sosa, Victor Jara, Violeta Parra, Leo Ferré, Jacques Brel, Geraldo Vandré (2) Chico Buarque, José Afonso (3),  Fanhais (4), Adriano, Luís Cilia, José Mário Branco entre outros são personagens do canto de intervenção numa perspectiva progressista (5). 



 



No campo da chamada Música erudita podemos referir Lopes Graça e seu Requiem pelas Vítimas do Fascismo (6). Colectâneas de Canções Revolucionárias de todo o mundo e por países encontram-se em “One Hour of Music” (7) e (8)






No campo da Música  Popular portuguesa Lopes Graça e Michel Giacometti procederam a recolhas que originaram as “Canções Populares e Regionais” (9) (10) ou programas na TV como Povo que Canta (11)





Por último, dois textos sobre o Canto de Intervenção: A canção-composição de intervenção em Fernando Lopes Graça, José Afonso e Adriano Correia de Oliveira, por Ana Saldanha (12) e O canto e o cante, a alma do povo, por Eduardo M. Raposo (13)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

(11 https://www.youtube.com/channel/UCoojHIgP2IRmcN5BD1BU48A



SOBRE Luís Cília VER 

https://www.youtube.com/channel/UChtBbefPIhHQws2uzUtHD6Q